terça-feira, 26 de maio de 2009

O Buda de Ouro


O Buda de Ouro

No outono de 1988, minha esposa Georgia e eu fomos convidados a fazer uma palestra sobre auto-estima e desempenho máximo numa conferencia em Hong Kong. Como nunca havíamos estado no Extremo Oriente, decidimos estender nossa viagem e visitar a Tailândia.
Ao chegarmos a Bangkok, resolvemos fazer uma visita aos mais famosos templos budistas da cidade. Naquele dia, juntmente com nosso intérprete e motorista, eu e Georgia visitamos vários templos budistas, mas, depois de algum tempo, todos eles começaram a se confundir em nossa memória.
No entanto, um dos templos deixou uma indelével impressão em nossos corações e mentes. Chama-se o "Templo do Buda de Ouro". O templo em si é muito pequeno, provavelmente não mais de que 10 x 10 metros. Mas, ao entrarmos, ficamos atordoados com a presença de um Buda de ouro maciço de 3,5 metros de altura. Ele pesa mais de duas toneladas e meio, e está avaliado em aproximadamente cento e noventa e seis milhões de dólares! Foi uma visão extremamente impressionante - o Buda de ouro maciço, gentil e bondoso, embora imponente, sorrindo para nós. Enquanto estávamos envolvidos com as atividades normais dos turistas (tirar fotografias e fazer exclamações de admiração diante da estátua), caminhei até uma vitrine que continha um grande pedaço de barro com cerca de oito polegadas de espessura por doze polegadas de largura. Ao lado da vitrine havia uma página datilografada descrevendo a história desta magnífica peça de arte.
Nos idos de 1957, um grupo de monges de um monastério precisava transferir um Buda de barro de seu templo para um novo local. O monastério teria que ser transferido para ceder espaço à construção de uma auto-estrada que atravessaria Bangkok. Quando o guindaste começou a sustentar o ídolo gigantesco, seu peso era tamanho que ele começou a rachar. E, como se isso não bastasse, começou a chover. O monge superior, que estava preocupado com os danos que pudessem ocorrer ao Buda sagrado, resolveu devolver a estátua ao chão e cobri-la com um grande encerado de lona para protegê-la da chuva.
Mais tarde, naquela noite, o monge foi verificar como estava o Buda. Acendeu sua lanterna sob o encerado para ver se o Buda continuava seco. Conforme a luz incidiu sobre a rachadura, o monge notou um pequeno brilho e achou estranho. Ao olhar mais de perto o reflexo da luz, perguntou-se se poderia haver algo sob o barro. Foi buscar um cinzel e um martelo no monastério e começou a retirar o barro. À medida que derrubava fragmentos de barro, o pequeno brilho se tornava maior e mais forte. Muitas horas de trabalho se passaram até que o monge se deparou com o extraordinário Buda de ouro maciço.
Os historiadores acreditam que algumas centenas de anos antes da descoberta do monge, o exército dos birmaneses estava prestes a invadir a Tailândia (chamada então de Sião). Os monges siameses, percebendo que seu país seria logo atacado, cobriram seu precioso Buda de ouro com uma camada externa de barro, a fim de evitar que seu tesouro fosse roubado pelos birmaneses. Infelizmente, parece que os birmaneses massacraram todos os monges siameses, e o bem guardado segredo do Buda de ouro permaneceu intacto até aquele fatídico dia em 1957.
Voltando para casa no avião da Cathay Pacific Airlines, pensei comigo mesmo: "Somos todos como o Buda de barro, recobertos por uma concha de resistência criada pelo medo e ainda assim, dentro de cada um de nós, há um 'Buda de ouro', um 'Cristo de ouro' ou uma 'essência de ouro', que é o nosso eu verdadeiro. Em algum lugar ao longo do caminho, entre a idade de dois e nove anos, começamos a encobrir nossa 'essência de ouro', nosso eu natural. E, assim como o monge, com o martelo e o cinzel, nossa tarefa agora é descobrir mais uma vez a nossa verdadeira essência."

Jack Canfield
Do livro: Canja de Galinha para a Alma
Jack Canfield & Mark Victor Hansen
Ediouro

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Comunicado ao leitor

Caro leitor, eu estou fazendo um curso em São Paulo, o termino será dia 28 de maio. Após esta data, voltarei a postar com regularidade.
Agradeço antecipadamente sua compreensão.

Abraços
Sidney Crivelari

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Um dos discursos de Sam Walton

Discurso de Sam Walton, fundador do Walmart, fazendo a abertura de um programa de treinamento para seus funcionários.

“Eu sou o homem que vai a um restaurante, senta-se à mesa e pacientemente espera, enquanto o garçom faz tudo, menos o meu pedido.
Eu sou o homem que vai a uma loja e espera calado, enquanto os vendedores terminam suas conversas particulares.

Eu sou o homem que entra num posto de gasolina e nunca toca a buzina, mas espera pacientemente que o empregado termine a leitura do seu jornal.
Eu sou o homem que, quando entra num estabelecimento comercial, parece estar pedindo um favor, ansiando por um sorriso ou esperando apenas ser notado.

Eu sou o homem que entra num banco e aguarda tranqüilamente que as recepcionistas e os caixas terminem de conversar com seus amigos, e espera.
Eu sou o homem que explica sua desesperada e imediata necessidade de uma peça, mas não reclama pacientemente enquanto os funcionários trocam idéias entre si ou, simplesmente abaixam a cabeça e fingem não me ver.

Você deve estar pensando que sou uma pessoa quieta, paciente, do tipo que nunca cria problemas. Engana-se. Sabe quem eu sou?
Eu sou o cliente que nunca mais volta!

Divirto-me vendo milhões sendo gastos todos os anos em anúncios de toda ordem, para levar-me de novo à sua firma. Quando fui lá, pela primeira vez, tudo o que deviam ter feito era apenas a pequena gentileza, tão barata, de me enviar um pouco mais de “cortesia”.
“Clientes podem demitir todos de uma empresa, do alto executivo para baixo, simplesmente gastando seu dinheiro em algum outro lugar.”


Sam Walton - Fundador da Walmart, a maior rede de varejo do Mundo.

domingo, 10 de maio de 2009

"Fashion Porn" - Gisele Bündchen by Solve Sundsbo

Gisele Bündchen é fotografada em poses provocantes neste ensaio, de autoria do fotógrafo norueguês Solve Sundsbo.




McLaren usando Controle remoto na F1

É como dizem, a diferença entre um homem e uma criança, é o tamanho e valor de seus brinquedos... he he he
Vejam a loucura...


A história é a seguinte:
Um cara (muito louco) desenvolveu um controle remoto de carrinho de corrida, no seu telefone usando Bluetooth, apenas por diversão.
Ele fez uma pista de corrida em seu escritório, fez um vídeo e publicou na internet.
Advinhe quem viu o filme e respondeu para ele?
A McLaren!
Ele foi convidado por eles a levar o controle para que fosse adaptado a um carro verdadeiro.
Veja só como ficou!
E quem pilota o carro?
Que Mundo Doido...

A Porta Mais Larga do Mundo

"A prudência é a filha mais velha da sabedoria."
Victor Hugo

Conta-se que um dia um homem parou na frente do pequeno bar, tirou do bolso um metro, mediu a porta e falou em voz alta: dois metros de altura por oitenta centímetros de largura.
Admirado mediu-a de novo.
Como se duvidasse das medidas que obteve, mediu-a pela terceira vez. E assim tornou a medi-la várias vezes.
Curiosas, as pessoas que por ali passavam começaram a parar.
Primeiro um pequeno grupo, depois um grupo maior, por fim uma multidão.
Voltando-se para os curiosos o homem exclamou visivelmente impressionado: "parece mentira!" esta porta mede apenas dois metros de altura e oitenta centímetros de largura, no entanto, por ela passou todo o meu dinheiro, meu carro, o pão dos meus filhos; passaram os meus móveis, a minha casa com terreno.
E não foram só os bens materiais. Por ela também passou a minha saúde, passaram as esperanças da minha esposa, passou toda a felicidade do meu lar...
Além disso, passou também a minha dignidade, a minha honra, os meus sonhos, meus planos...
Sim, senhores, todos os meus planos de construir uma família feliz, passaram por esta porta, dia após dia... gole por gole.
Hoje eu não tenho mais nada... Nem família, nem saúde, nem esperança.
Mas quando passo pela frente desta porta, ainda ouço o chamado daquela que é a responsável pela minha desgraça...
Ela ainda me chama insistentemente...
Só mais um trago! Só hoje! Uma dose, apenas!
Ainda escuto suas sugestões em tom de zombaria: "você bebe socialmente, lembra-se?"
Sim, essa era a senha. Essa era a isca. Esse era o engodo.
E mais uma vez eu caía na armadilha dizendo comigo mesmo: "quando eu quiser, eu paro".
Isso é o que muita gente pensa, mas só pensa...
Eu comecei com um cálice, mas hoje a bebida me dominou por completo.
Hoje eu sou um trapo humano... E a bebida, bem, a bebida continua fazendo as suas vítimas.
Por isso é que eu lhes digo, senhores: esta porta é a porta mais larga do mundo! Ela tem enganado muita gente...
Por esta porta, que pode ser chamada de porta do vício, de aparência tão estreita, pode passar tudo o que se tem de mais caro na vida.
Hoje eu sei dos malefícios do álcool, mas muita gente ainda não sabe. Ou, se sabe, finge que não, para não admitir que está sob o jugo da bebida.
E o que é pior, tem esse maldito veneno, destruidor de vidas, dentro do próprio lar, à disposição dos filhos.
Ah, se os senhores soubessem o inferno que é ter a vida destruída pelo vício, certamente passariam longe dele e protegeriam sua família contra suas ameaças.
Visivelmente amargurado, aquele homem se afastou, a passos lentos, deixando a cada uma das pessoas que o ouviram, motivos de profundas reflexões.
...................................
Você sabia que, segundo o Ministério da Saúde, no ano de 2001 foram internados 84.467 brasileiros por transtornos mentais e comportamentais devido ao uso do álcool, demandando um gasto de mais 60 milhões de reais?

Ainda segundo o Ministério da Saúde, o álcool é a droga mais usada pelos jovens no Brasil.
Segundo pesquisa realizada em 14 capitais brasileiras em 2001, pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), o consumo começa cedo: em média, aos 13 anos. E o pior é que o álcool é a porta principal de acesso às demais drogas.
E você sabia que a influência da TV e do Cinema nos hábitos de crianças e adolescentes foi recentemente comprovada por pesquisadores da Escola de Medicina de Dartmouth, nos Estados Unidos?
Por todas essa razões, vale à pena orientar nosso filho para que não seja mais um a aumentar essas tristes estatísticas.
Autor Anonimo - Recebido por e-mail

A FedCon 2009 apresentou em sua abertura este belíssimo vídeo

Este foi o filme de abertura na convenção FedCon 2009, a convenção foi realizada uma semana antes da abertura oficial do novo filme Star Trek (Jornada nas Estrelas).
A Fedcon é a maior convenção de Sci-Fi (ficção científica) da Europa. É frequentado por fãs de diferentes países ao redor do mundo. Os apaixonados por Star Trek podem obter mais informações no blog Trek Brasilis
.

Fedcon 2009 Opening Ceremony Star Trek Animation from Tobias Richter on Vimeo.

sábado, 9 de maio de 2009

Milhares fazem karaokê em massa em Londres

Participantes se aglomeraram na Trafalgar Square, no centro da cidade.
Músicas dos Beatles e Britney Spears fizeram parte do repertório.
Da BBC - 04/05/2009‎



Milhares de pessoas se aglomeraram na Trafalgar Square, no centro de Londres, para fazer parte de um karaokê em massa, na última quinta-feira (30).
O evento, no estilo dos flash mobs, foi organizado por uma companhia de telecomunicações para a filmagem de um comercial de TV.
Tradicionalmente, o flash mob é provocado por uma multidão que se reúne subitamente em algum lugar, atendendo a uma convocação que é feita pela internet, para realizar uma "performance artística".

De acordo com a empresa T-Mobile, mais de 13 mil pessoas estavam presentes e 2 mil microfones foram distribuídos.
Todos ficaram surpresos quando a cantora americana Pink juntou-se à multidão para cantar.
"Hey Jude", dos Beatles, e "Baby one more time", de Britney Spears, foram algumas das músicas cantadas no evento.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

'Barebacking' uma orgia com participação de HIV's positivos sem camisinha

Vi no blog “Escreva Lola Escreva” um post sobre “barebacking”. Como nunca tinha ouvido falar a respeito, fiquei curioso e fui dar uma espiadinha...
Após a leitura, li a matéria do Jornal do Brasil em link indicado por Lola Aronovich.
Fiquei pasmo!
Escrevo um apanhado geral da matéria, caso queiram se aprofundar, aconselho o blog da Lola ou a própria matéria do JB.

'Barebacking' cresce no Brasil e torna-se caso de saúde pública
Vagner Fernandes, Jornal do Brasil

RIO - “Procuram-se HIVs”. Impresso em um caderno de classificados dos jornais das grandes metrópoles, o anúncio não passaria despercebido...

...ela vem ganhando novos contornos etimológicos devido a um grupo de homens que praticam sexo com homens (os HSH), absolutamente crentes na teoria de que o vírus da Aids, se contraído numa relação sexual, pode trazer benefícios para seu cotidiano, libertando-o, de uma vez por todas, do uso do preservativo...

..."barebacking" (derivado da palavra barebackers, usada em rodeios para designar os caubóis que montam a cavalo sem sela ou a pêlo).

O termo ficou conhecido internacionalmente como uma gíria para o sexo sem camisinha, praticado de preferência em grupo, em festas fechadas, por homens sorodiscordantes (HIVs positivos e negativos).

Festa da conversão

As orgias são chamadas de conversion parties ou roleta-russa. Entre os convidados, há os bug chasers (caçadores de vírus), o HIV negativo, que se lança ao sexo sem camisinha, e os gift givers (presenteadores), os soropositivos que se dispõem a contaminar um negativo.

São esses os responsáveis por entregar o gift (presente), o vírus. Quem participa de encontros bare confirma: o prazer sem barreiras é o que importa. Quanto à Aids, eles não encaram mais a doença como mortal, porém crônica, com tratamento à base do coquetel.

– Sou um barebacker assumido – dispara R. H., 31 anos, geógrafo e cientista social, com pós-graduação nas duas áreas.

– Eu odeio camisinha. Acho uma m... É terrível interromper o sexo para colocá-la. Acaba com o meu prazer. No mais, o bare, para mim, é um fetiche. Eu gosto, apesar de ter contraído o vírus da Aids numa festa. Mesmo assim, faria tudo de novo. Não me arrependo.

A mansão, de três andares, é fechada especialmente para a ocasião. O décor é sofisticado. No primeiro pavimento, paredes brancas contrastam com sofás vermelhos. TVs de plasma 42' …

...é uma festa para pessoas escolhidas a dedo, para poucos, no máximo 60 convidados, informados por e-mail.

Há regras, e elas são claras. É condição sine qua non ficar nu ou no, máximo, com uma toalha (cedida pela produção do evento) amarrada na cintura. Quem se recusa é convidado a se retirar.

Outra exigência: o sexo tem de ser praticado nos ambientes comuns de convivência. Ou seja, nada de se trancar em banheiro, em cozinha, em quarto. Ali, todos estão para ver e serem vistos.

Circulando pelos outros andares, a prova: na sala de vídeo, um jovem de cerca de 20 anos se entrega ao prazer, cercado por três homens.

Nenhum deles usa preservativo. A cena é chocante. O rodízio de papéis, durante o ato sexual, é comum nessas festas. Faz parte do jogo. O quarteto não frustra as expectativas dos voyeurs reunidos na porta da sala.

Mas é a sensação de perceber a adrenalina disparar e o coração bater aceleradamente devido ao unsafe sex (sexo inseguro) sem pudores e em público que os impulsiona.

Um deles podia ser gift giver e os outros bug chasers. Ou vice-versa. A probabilidade de o gift (o vírus) estar ali, entre eles, era grande. Ninguém se importava.

Interesse dos jovens

Nas principais metrópoles, o fenômeno tem chamado a atenção de jovens. Comunidades sobre o tema se espalham por sites de relacionamento como o Orkut. No Rio e em São Paulo, a adesão ganha força.

Na indústria pornô, os filmes bare são os mais procurados. No YouTube, as postagens com cenas de sexo sem o uso de preservativos lideram o ranking das mais assistidas. Muitos dos que não praticam ou não têm coragem para fazê-lo buscam o prazer lançando mão de DVDs ou de vídeos na internet. O conceito de barebacking se dissemina.

O preço da inconsequência

Homo, bi ou hetero, na festa, todos praticaram sexo sem camisinha. A irresponsabilidade tem preço. E alto. Dos cofres públicos do governo federal saem cerca de R$ 1 bilhão por ano para tratamento exclusivo de soropositivos. Um paciente consome de R$ 5.300 a R$ 26.700 por ano. Cerca de 20 mil pessoas infectadas iniciam tratamento com anti-retrovirais no país, anualmente.

Psicólogos, antropólogos e sociólogos teorizam sobre distúrbios de comportamento ou disfunção social. Para o resto do mundo, não passam de estúpidos ou patéticos.

Leia matéria na íntegra

Vídeo on-line de Susan Boyle e o convite para Filme Pornô

Vídeo on-line de Susan Boyle fica entre os cinco mais assistidos do mundo

Fenômeno na web há três semanas totalizou 186 milhões de cliques.
Cantora apareceu no show de talentos "Britain's Got Talent"


O vídeo com a cantora britânica Susan Boyle, que se tornou uma estrela da noite para o dia com sua surpreendente performance no show de talentos "Britain's Got Talent", ficou entre os cinco mais vistos de todos os tempos.
Veja matéria completa no G1

O "Britain's Got Talent" é um programa britânico que deu origem a versão "American Idol" nos Estados Unidos (onde Simon Cowell é o jurado azedo em ambos os programas) e o programa "Ídolos" no Brasil. Os três programas são um show de calouros, onde o nível dos candidatos mais se aproxima ao do "Cassino do Chacrinha" (que vivia distribuindo o seu famoso troféu abacaxi). Como Susan, apareceram talentos maravilhosos, Paul Potts e outros.
Agora o curioso...
No Brasil basta virar celebridade para receber uma proposta de posar nua para a Playboy, lá fora é filme pornô mesmo...
Que Mundo Doido

G1
"Com 47 anos, nunca fui beijada por um homem", confessou Boyle há dez dias diante do júri do "Britain's Got Talent", que não ocultou seu desprezo pela candidata gordinha e desajeitada -ela despertou gargalhadas do público ao contar que vivia sozinha com seu gato Pebbles no interior.
Mas tudo mudou quando Boyle começou a cantar, com uma voz prodigiosa, "I dreamed a dream", tema do musical "Les Miserables".

Agora resta saber se a mulher que nunca foi beijada e cujo único sonho sempre foi se dedicar à música vai aceitar a proposta de fazer o filme pornô. Boyle também recebeu ofertas para gravar CDs, e já se reuniu com diretores da gravadora Sony BMG, segundo admitiu a nova estrela, sem divulgar mais detalhes.
Veja matéria completa no G1

Fonte: http://g1.globo.com/

Conversa de Índio

Uma noite, um velho índio Cherokee contou ao seu neto sobre uma batalha que acontece dentro das pessoas.

Ele disse:

- Meu filho, a batalha é entre dois lobos dentro de todos nós.

Um é mau: é a raiva, a inveja, o ciúme, a tristeza, o desgosto, a cobiça, a arrogância, a pena de si mesmo, a culpa, o ressentimento, a inferioridade, as mentiras, o orgulho falso, a superioridade e o ego.

O outro é bom: é a alegria, a paz, a esperança, a serenidade, a humildade, a bondade, a benevolência, a empatia, a generosidade, a verdade, a compaixão e a fé.

O neto pensou naquilo por alguns minutos e perguntou ao seu avô: - Qual o lobo que vence?

O velho Cherokee simplesmente respondeu: - O que você alimenta !

quarta-feira, 6 de maio de 2009

The Hunt for Gollum, na versão HD e legendado em português

Acabei de assistir no Dalymotion o filme The Hunt for Gollum, na versão HD e legendado em português.


completo
Para os apaixonados pela trilogia do senhor dos Anéis, fica fácil acompanhar o roteiro do filme, quem não acompanhou a trilogia, pode ficar um pouco confuso.
São 40 minutos de filme com uma ótima fotografia, bons efeitos especiais e os atores lembram um pouco os do filme.
O filme foi feito com um orçamento de apenas 3 mil libras esterlinas (o equivalente a cerca de R$ 9,6 mil) contra 270 milhões de dólares da trilogia.

"Todo o orçamento para Gollum foi para roupas, adereços, vários tipos de equipamento e comida", explicou o roteirista e diretor do filme, Chris Bouchard. "Nós usamos tudo para as coisas essenciais que nós não poderíamos conseguir de graça, ou implorando, pedindo emprestado ou roubando." BBC Brasil
Bouchard conseguiu reunir uma equipe grande especialmente através da internet - 160 pessoas. "Eu acho que nós tentamos simular uma produção profissional de verdade embora todo mundo estivesse fazendo isso para se divertir, nas horas vagas", acrescentou o diretor.BBC Brasil

Algumas cenas parecem como as feitas nas apresentações de alguns jogos de RPG, (que por sinal são maravilhosas). No geral é um filme bem feito, o roteiro poderia ser um pouco mais dinâmico e inteligente, mas vale a pena assistir ao filme.

Clique no banner para assistir


Sidney Crivelari

terça-feira, 5 de maio de 2009

Paul Potts e Susan Boyle

“Meu sonho é fazer o que sinto que nasci para fazer” Paul Potts no Britain's Got Talent.



Muito se falou do vídeo de Susan Boyle, uma cantora fantástica, que por sua aparência foi menosprezada. Ela desde o início, bem antes de sua apresentação, brincava e se mostrava confiante e profetizou que iria fazer sucesso. Ela queria uma oportunidade de cantar para uma grande platéia e aquela era a sua oportunidade para concretizar o seu sonho.
O primeiro vídeo de Paul Potts foi postado no Youtube há mais de um ano, estava muito nervoso e impaciente e ao ser entrevistado antes da apresentação, confessou sua enorme falta de segurança.
“Meu sonho é fazer o que sinto que nasci para fazer”, foi a frase que disse antes de sua entrada no palco. Quando na frente dos jurados disse que iria cantar Ópera, percebeu a reação dos jurados e deixou escapar um sorriso indescritível (um misto de decepção e tristeza) que só a emoção consegue entender.
Nunca vi alguém cantar com a toda sua alma, Paul Potts me fez chorar emocionado e me arrepio toda vez que o vejo cantar. A letra da música parece ser a história do seu sonho. Paul Potts venceu o concurso do Britain's Got Talent.


Vídeo de Susan Boyle

segunda-feira, 4 de maio de 2009

O que tem em comum Akhenaton, a Santa Inquisição, Mao Tse e Hitler?

O quem tem em comum Akhenaton, cujo nome inicial foi Amen-hotep IV (ou, na versão helenizada, Amenófis IV), a Santa Inquisição, Mao Tse Tung e Hitler?
Para que pagar salários justos, que motivem as pessoas de talento e vocação, na vital arte de educar?
O que tem eles com a educação?
Que mundo doido... tem muito em comum!

Um dos comentários feito em meu Blog no ultimo post, Matheus Colen disse: “Deve existir uma maneira de educar a população sem dar dinheiro pra político corrupto desviar. Só assim o povo vai saber melhor em quem votar.. e vai saber cobrar melhor as atitudes dos políticos... vivemos até hoje num país repleto de currais eleitorais.”
Eu ia responder a esse comentário, mas me pareceu um assunto tremendamente importante e resolvi abrir aqui, um novo espaço para debatermos este assunto.

O quem tem em comum Akhenaton, cujo nome inicial foi Amen-hotep IV (ou, na versão helenizada, Amenófis IV), a Santa Inquisição, Mao Tse Tung e Hitler?
Eles queimavam livros que contrariavam suas ideologias e a prática do seus regimes, apesar de terem sidos vorazes leitores em sua época.
Muitos dos regimes políticos aboliram qualquer tipo de pensamento contrário a sua ideologia (ou de seus interesses escusos), pensamentos expressos por livros, filmes ou palavras. Aboliram não, desculpem, perseguiram e massacraram quem quer que se opusesse a este “ideal”.
Seja qual for o regime (exceto os realmente democráticos e maduros), a classe dominante (no Brasil a classe governante) sempre mantém o pensamento comum e ainda em voga: “Um povo instruído se torna um perigo!”
Para que pagar salários justos, que motivem as pessoas de talento e vocação, na vital arte de educar?
Sim, educar é uma arte, segundo Emanuel Kant: “Educação é uma arte, cuja prática necessita ser aperfeiçoada por várias gerações. Cada geração, de posse dos conhecimentos das gerações precedentes, está sempre melhor aparelhada para exercer uma educação que desenvolva todas as disposições naturais na justa proporção e de conformidade com a finalidade daquelas, e, assim, guie toda a humana espécie a seu destino.”

Paulo Eduardo Antunes no site Aliança pela Infância - Educar é uma arte(jun 2003), expressou de forma brilhante um pensamento que compartilho aqui:
“A sociedade contemporânea se afastou do natural, da natureza, das forças divinas e da luz. As trevas vão conquistando, diante de tanta perplexidade, espaços sagrados em nossas ruas, em nossos lares, em nossas vidas.
Cada vez mais acuada a humanidade, em desespero, se arrasta rumo a uma situação caótica e insustentável. Conscientes das nossas limitações sabemos que para colaborarmos na transformação planetária, necessitamos primeiro promover uma mudança interna, para que possamos transmutar nossos lares e ambiente de trabalho. Devemos oferecer aos nossos filhos melhores padrões de vida e formar pensamentos mais saudáveis.
Em uma ilusória falta do que fazer, os humanos se conformam em se prostrar defronte a uma caixa eletrônica, onde a frivolidade, a luxúria e incontáveis paixões ou desejos inferiores são cuspidos a cada momento, visando manipular e retro-alimentar os indivíduos para patamares infinitos de consumo, desperdício e ociosidade.”

Como o sitema é o sabotador que só alimenta os interesses do próprio sitema, ficamos a mercê de boas intensões, bons discursos de alguns poucos que lutam no planalto central a favor da educação no país, mas que na verdade não conseguem nenhuma mudança significativa.
Uma das formas que vejo, para amenizar essa carência chamada educação, afinal “a ignorância é a mãe de todas as carências”, é a movimentação da sociedade civil. Pessoas voluntárias, associações de classe, ONGs, com o intuito de ensinar o básico necessário para que se realizem mudanças significativas em nosso país.
Acredito que devam ensinar quais são os direitos e deveres que a pessoa tem como cidadão. Quem sabe de seus direitos, precisa saber também, como deve proceder para que seus direitos sejam exercidos e respeitados.
Cidadania traz poder, poder este que é exercido pelo voto, onde escolherá o representante responsável pelos seus interesses.
Duvido que quem passe fome, ao saber que seu voto, pode mudar sua própria vida, vá trocá-lo por um prato de comida de 2 em 2 anos (nos períodos de eleições).
Outra necessidade que vejo é um trabalho na base da educação familiar, sobre os valores éticos e morais.

Deixo aberto aqui um espaço para sugestões, debates de idéias e quem sabe um local para que se amadureçam soluções. Conto com pessoas que como eu, estão cansadas de reclamar!
Sidney Crivelari

sábado, 2 de maio de 2009

Software israelense manobra opiniões na internet - Uma notícia antiga, mas muito doida

19/01/2009 - 12h06
Software israelense manobra opiniões na internet

DIÓGENES MUNIZ
editor de Informática da Folha Online

Nem só de caças F-16 e mísseis teleguiados são feitos os ataques israelenses em Gaza. Uma arma em específico se destacou pela eficiência apresentada desde a escalada do conflito --e continuará sendo usada, mesmo após o cessar-fogo. Ela age nos bastidores da internet, modificando resultados de enquetes on-line, entupindo caixas de e-mails de autoridades e ajudando a protestar contra notícias desfavoráveis à comunidade israelense.

O nome da ferramenta é Megaphone, um software desenvolvido pela companhia Collactive e distribuído pela organização Giyus ("mobilização" em hebraico, mas também sigla para "Give Israel Your United Support" ou "Dê a Israel seu apoio integrado", em tradução livre). O programa serve para mobilizar internautas pelo mundo dispostos a manobrar ("balancear", segundo os usuários) opiniões na rede.

Desenvolvido em 2006, durante a Guerra do Líbano, seu uso atingiu 36.700 "soldados virtuais" com o conflito em Gaza. A meta: 100 mil participantes.

Lobby 2.0

O internauta disposto a fazer parte do arrastão cibernético precisa baixar um programa no site Giyus.org, que se apresenta como uma "coalizão de organizações pró-Israel trabalhando juntas para ajudar a comunidade judaica a fazer suas opiniões serem ouvidas de maneira efetiva".

Instalada a plataforma, aparecem no computador alertas em tempo real sobre notícias, enquetes, artigos, vídeos ou blogs que estejam com visões "a favor ou contra" a comunidade. Lembram os avisos de novas mensagens do comunicador instantâneo MSN. O internauta é convidado, a partir daí, a "agir por Israel" --enchendo os alvos de críticas, elogios ou votos.

Com poucos cliques (e sem dominar o idioma da página em questão), é possível influenciar uma pesquisa no site do Yahoo! ou mandar uma notícia sobre mísseis palestinos para a ONU, entre outros. O programa oferece no próprio navegador um formulário completo de "ação" já preenchido, com endereços dos destinatários e conteúdo padrão a ser enviado: o internauta sequer precisa abrir sua conta de e-mail ou clicar em "enviar".

Redes sociais e sites colaborativos, como Facebook e YouTube, também estão na mira do software. Esse tipo de estratégia, que recebeu o apoio do Ministério das Relações Exteriores de Israel, já forçou o site da BBC a tirar uma enquete do ar.

Desde o início da invasão a Gaza, dezenas de comunidades e sites foram "pichados", invadidos ou derrubados, tanto por piratas virtuais palestinos quanto israelenses. O que se destaca neste caso, no entanto, é o modo de atuação do programa, que institucionaliza a manipulação de informação de forma coordenada e colaborativa.

Folha Online